Filmes para ver e se sentir na Itália!

Assistir filmes que tenham como cenário o próximo país que você vai conhecer ajuda imensamente na construção do seu roteiro e servem para aumentar a sua excitação e imaginação sobre o lugar. Em alguns, o próprio país se torna coadjuvante (às vezes, protagonista), oferecendo belíssimas imagens das cidades. A Itália é um dos locais prediletos dos cineastas e muitas cidades do meu roteiro foram incluídas devido a filmes que assisti e me apaixonei pelas paisagens. Veja abaixo uma lista com filmes para começar a sua viagem:

Continuar lendo

Anúncios

Cidades que podem decepcionar

O famoso ditado que diz: “a expectativa é a mãe da decepção” também se aplica em viagens. Algumas cidades que imaginamos de uma forma podem se apresentar de outra completamente diferente e causar uma grande decepção. Outras, das quais não esperamos nada, podem ser uma imensa e agradável surpresa.

Abaixo, comento sobre algumas cidades que me decepcionaram durante minhas viagens, lembrando que é a minha opinião pessoal, que pode ser completamente diferente da sua:

Continuar lendo

Viajar gastando pouco?!

Primeiramente, já vou esclarecer um ponto: você nunca irá gastar pouco viajando. Pode-se minimizar gastos, nunca gastar pouco. Atualmente, uma viagem para a Europa de 15 dias, com uma média de gastos de 70 euros por dia, mais a passagem, pode custar algo entre R$ 6.000,00 a R$ 7.500,00 (com as devidas precauções e planejamento para evitar gastos).

Convenhamos: isso não é gastar pouco, em relação à crise do país e o quanto ganhamos por mês. Aviso isso por um motivo muito simples: alguns sites, blogs, etc, anunciam o “gastar pouco” como se fosse algo como comprar pão francês na padaria da esquina. Isso pode decepcionar quem está planejando uma viagem ao calcular o custo total.

Continuar lendo

Gastos – Viagem – Buenos Aires

Pela primeira vez eu voltei com dinheiro para o Brasil. Em outras viagens, o meu planejamento para o orçamento é detalhado e sempre há uma sobra, que utilizo para compras (roupas ou lembranças). Como os preços em Buenos Aires estão altíssimos – e a qualidade dos produtos caiu muito – comprei apenas alfajores para presentear e um ímã de geladeira da Mafalda. Vamos para a planilha resumida de gastos e as considerações (os valores estão em pesos):

Continuar lendo

A MINHA CIDADE na Espanha, Itália e França

Apesar de planejar um grande roteiro, com dezenas de cidades para visitar, sempre escolho a “minha cidade” em cada país. Ela não precisa ser uma grande metrópole ou conter uma arquitetura deslumbrante. A minha cidade é aquela que me proporciona momentos inesquecíveis, somados com boa gastronomia, cultura e com uma resposta afirmativa para a pergunta: eu viveria até o final dos meus dias nessa cidade?

Em todos os países, elas se “mostraram” de diversas formas. Por exemplo: ao descer na estação de trem de uma cidade, imediatamente eu descobri que ela seria a escolhida. Para outras, foram necessárias algumas horas para o encantamento se concretizar. É uma tarefa difícil optar por uma entre centenas de cidades fantásticas. Mas a minha cidade não é analisada por fatores ou pontos específicos. Simplesmente elas são escolhidas com os sentimentos… Continuar lendo

Cartão turístico para descontos – Vale a pena?!

A grande maioria das cidades turísticas da Europa possuem um cartão turístico. Com ele, você pode visitar várias atrações (listadas nos sites ou nas informações do cartão), descontos em lojas e restaurantes e, inclusive, acesso ilimitado ao transporte público da cidade. Como funciona? Há opções variadas e as mais comuns são para um ou três dias de duração. Paga-se uma quantia pelo cartão (Exemplo: o Paris Museum Pass custa 42 euros para 2 dias, 56 euros para 4 dias e 69 euros para 6 dias) e a duração inicia-se ao visitar a primeira atração turística. E a melhor: não é necessário ficar nas filas quilométricas para comprar o ingresso.

Ao analisar essas informações, a conclusão é imediata: é uma grande vantagem. Será mesmo? Abaixo, algumas das minhas experiências com os cartões turísticos: Continuar lendo

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

Um dos pontos primordiais no planejamento da sua viagem é verificar se os países que compõem o seu roteiro exigem a vacina contra a febre amarela. As pessoas que nunca foram vacinadas – ou que receberam a vacina há mais de dez anos – devem tomar com, no mínimo, dez dias de antecedência da viagem. Aproveite e faça o seu, assim é um fator a menos para se preocupar! A validade da vacina é de dez anos.

Lista dos países que exigem a vacina AQUI!

Como conseguir o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)? Continuar lendo

Qual a melhor época para viajar?

A resposta é: depende! Se você quiser praia, é evidente que o verão é o mais adequado; se quiser esquiar, no inverno; temperaturas mais amenas? Outono ou primavera.

Por que você precisa definir esse ponto? A resposta afetará o seu custo total, o que levar na mala, atrações turísticas e eventos. Creio que o ponto principal é o custo. Você provavelmente já ouviu falar em alta e baixa temporada. Também possuímos essa definição em viagens nacionais e a explicação é óbvia: baixa temporada = baixo custo; alta temporada = alto custo. A prefeitura de Paris, por exemplo, considera alta temporada o período de 1º de abril a 31 de outubro e a baixa temporada o período de 1º de novembro a 31 de março.

As estações do ano na Europa: Continuar lendo

O que é necessário para viajar? (documentos e informações)

O que você precisa para viajar? (Europa)

Passagens: Várias companhias fazem voos com conexões para a França. A TAM e a Air France possuem rotas diretas. A regra principal é: quanto maior a antecedência, menor será o preço. Costumo comprar a passagem, no mínimo, cinco meses antes da viagem e parcelo o valor em cinco ou seis vezes. Assim, ao embarcar, essa dívida está quitada. Há vários sites (www.submarinoviagens.com.br ou www.decolar.com.br, por exemplo) para comparações de valores, excelentes para verificar as promoções ou adquirir sua passagem. Outra opção é comprar através de uma agência de turismo, que cobrará uma taxa pelo serviço. Algumas pessoas aguardam até a proximidade com a data da viagem para conseguir uma “promoção relâmpago”. Um grande risco, pois é provável que a quantidade de bilhetes se esgote, principalmente na alta temporada, ou, se houver passagens, os preços serão muito altos. Continuar lendo