Ata-me! Envolva-me! Deseja-me!

“A intensidade pode ser medida pelo efeito que ela produz”. Experimente uma simples bola de sorvete de chocolate, sem nenhuma iguaria acrescida e, depois, uma porção do mesmo sorvete, com pequenos pedaços de trufas, amêndoas laminadas delicadamente carameladas e uma calda espessa de chocolate suiço meio amargo. A necessidade física de glicose se acalmaria com o primeiro, mas seus sentidos ansiariam com uma força colossal pelo segundo. A razão? Intensidade está diretamente ligada com desejo, força e… paixão!

Sendo humano, obviamente, em algum momento da sua trajetória, a paixão fez parte do seu cotidiano… ou foi ele por inteiro! Iniciou-se na sua concepção, com um ato apaixonado entre seus pais, e o acompanhará até o fim. Um sentimento que ultrapassa conceitos, idade, gênero e barreiras sociais, ocasionando uma excitação convincente, que direciona para um vício, servindo de “alimento” para a sensação de estar vivo!

Lembro-me, vagamente, da primeira vez que escutei algo relacionado a mim e sentimentos exacerbados: “O seu filho é muito intenso. Uma energia que necessita extravasar… Inscreva-o em atividades físicas!” Minha mãe escutou calmamente o conselho da professora e, na semana seguinte, eu estava matriculado em aulas de karatê. Sendo uma pessoa com emoções desenfreadas, não seria nenhuma surpresa a minha escolha para destino da minha primeira viagem: a Espanha!

Os espanhóis – e o seu país – fazem por merecer a fama de um povo com emoções fortes, ardentes e repletas de força. Pela forma acalorada, muitos turistas os consideram grosseiros, algo completamente esquecido depois de alguns dias em qualquer cidade espanhola. As cores vibrantes das suas roupas; A forma direta de falar, com o olhar fixo nos seus olhos; Os passos largos, precisos, transmitindo a mensagem: “não posso perder tempo da minha vida” e a alegria apaixonante, mesclada com a sedução inflamada, são apenas algumas das características singulares – e únicas – dos habitantes, que se fundem com todas as particularidades espanholas, tornando o país um lugar inesquecível.

Sevilha, situada no sudoeste, capital da Andaluzia, é uma excelente opção para constatar todos esses fatos. Quarta maior cidade da Espanha, além de reconhecida pela sua história, relacionada aos imperadores romanos Trajano e Adriano, e com um patrimônio histórico monumental, possui a maior catedral gótica do mundo, a Catedral de Sevilha (também conhecida como Catedral de Santa Maria da Sede), com a La Giralda, a torre símbolo da catedral, com um claustro conhecido como o Pátio das Laranjeiras. Uma visita indispensável em seu roteiro, principalmente para se surpreender com a Sacristia Mayor e a Sala Capitular da catedral.

Depois de “cumprir” as obrigações turísticas, deixe-se perder pelas pequenas ruelas da cidade para encontrar – o que não será difícil – um legítimo espetáculo de Flamenco. Se durante o dia, o clima inebriante da cidade não conseguiu causar uma devoção concreta, não se preocupe: as dançarinas de flamenco o farão arfar com seus passos enérgicos, seus movimentos hipnotizantes e uma força alucinante ao demonstrar sua paixão… Aliás, dizem que a paixão é passageira… quem afirmou isso não colocou os pés em terras espanholas!

Espetáculo de Flamenco, em Sevilha!

Espetáculo de Flamenco, em Sevilha!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s