Informações – Veneza

Certa vez, uma amiga perguntou: “Márcio, já que você conhece muitos países, se fosse para escolher apenas uma cidade para visitar, qual seria?”. Não foi necessário pensar na resposta, porque ela veio espontaneamente: Veneza. Ao sair da estação Santa Lucia, na primeira vez que visitei a cidade, as lágrimas escorreram sem parar, acompanhadas de um grande sorriso. Ela é única, magnífica e deslumbrante. Cheiro de maresia? Milhões de turistas se acotovelando pelas ruelas? Preços abusivos? Tenha a certeza de que nada irá atrapalhar o encanto que Veneza proporciona.

Veneza – em italiano Venezia – localiza-se na Lagoa de Veneza, no Mar Adriático. Possui 177 canais, 409 pontes e 117 ilhas. O principal núcleo da cidade, o seu centro histórico, é constituído por um conjunto de ilhas no centro da lagoa. As outras principais ilhas da lagoa são: Lido, Murano, Burano e Torcello. Outras ilhas menores são São Miguel (a ilha do cemitério da cidade), Santo Erasmo, Mazzorbo, La Vignole, Certosa São Francisco do Deserto, São Giacomo em Paludo, São Servolo, São Lazzaro degli Armeni e Giudecca.

Linda, linda, linda...

Linda, linda, linda…

Para iniciar as informações e atrações sobre Veneza, explanarei sobre como chegar e como se locomover nessa belíssima cidade:

Como chegar?

Antes, uma pequena explicação: existe a Veneza que todos conhecem, a ilha turística (no mapa abaixo como Venice) e a Veneza Mestre (no mapa abaixo como Mestre), localizada na parte continental da Itália. As duas são ligadas pela Ponte da Liberdade (Ponte della Libertá). O trajeto de trem entre as duas dura, aproximadamente, 10 minutos.

mestre-marghera

Fonte: Wikipédia

TREM: A melhor opção para chegar na cidade. O ponto de desembarque na ilha é a Estação Santa Lucia, situada no Grande Canal de Veneza. O movimento é intenso durante todo o dia e há trens com viagens para o continente – Veneza Mestre – em curtos espaços de tempo. Há conexão com várias cidades da Itália, como Milão, Roma e Florença. Confira no site da Trenitalia sobre valores, horários e percursos. Dica: ao comprar sua passagem, há duas opções: Venezia Mestre (parte continental) e Venezia Santa Lucia (Ilha).

Estação Santa Lucia

Estação Santa Lucia

AVIÃO: O Aeroporto Marco Polo é o principal da cidade. Para ir do aeroporto até Veneza, você pode utilizar:

– O Aerobus – ônibus – da ATVO, com ponto de embarque e desembarque na Piazzale Roma, ao lado da Estação Santa Lucia.

– O ônibus nº 5 da ACTV, com ponto de embarque e desembarque na Piazzale Roma (a opção mais barata e foi a que utilizei em minha última viagem).

– O barco da empresa Alilaguna. O mais utilizado pelos turistas é a linha Arancio (laranja), que leva até a região da ponte Rialto e da Praça San Marco em, aproximadamente, 1 hora. Dica: se o seu hotel fica próximo da Estação Santa Lucia, o meio mais rápido e barato é o ônibus, que leva 20 minutos até a estação.

– Há as opções com barcos, como o táxi aquático, com valores bem altos.

CARRO: A pior opção. Além de não poder usá-lo na ilha – impossível -, o custo das diárias dos estacionamentos é exorbitante.

Como se locomover em Veneza?

O único meio de transporte são os barcos. Há o barco ambulância, o barco da polícia, o barco do lixeiro, o barco táxi, etc. O mais famoso – e utilizado por todos os turistas – é o VAPORETTO (Vaporetti). São embarcações utilizadas como transporte público pelos canais da cidade. O seu nome originou-se dos primeiros barcos movidos a vapor.

Vaporetto

Vaporetto

Algumas dicas sobre o Vaporetto:

– Ao comprar o bilhete para embarque – vendas on-line no site da ACTV ou em qualquer bilheteria (há uma na saída da estação) – você poderá utilizá-lo no período correspondente quantas vezes quiser. Atualmente, há os bilhetes para 1 dia (20 euros), 2 dias (30 euros), 3 dias (40 euros) e 7 dias (60 euros). Há o bilhete de 60 minutos, mas não é uma boa opção, já que custa 7 euros. Dica: compre o bilhete para o número de dias da sua estadia na cidade porque, com certeza, você irá utilizá-lo.

– Nas estações de embarque, há um painel com a direção do Vaporetto, como em uma linha de metrô. A ACTV oferece um MAPA das rotas das embarcações. Dica: ao escolher o hotel, procure qual a estação do Vaporetto é a mais próxima para desembarcar. Geralmente eles informam no site do hotel, com um pequeno mapa de como chegar. Não encontrou? Procure no Google Maps ou mande um email para solicitar a informação.

– Antes de entrar no Vaporetto, é necessário validar o seu cartão em pequenas máquinas. É só encostá-lo e é feito o registro. Dica: muitas pessoas – e turistas – entram no Vaporetto sem comprar o bilhete ou não o validam, porque ninguém faz a conferência. Mas se um fiscal entrar para conferir e encontrar alguém sem bilhete, a multa é alta. Confesso que não vi nenhum, mas lembre-se da Lei de Murphy nesses casos.

Fonte: http://europeforvisitors.com/venice/articles/venice-vaporetto-traveling.htm

Máquina para validar o ticket. Fonte: europeforvisitors.com

– Algumas linhas levam para as principais ilhas de Veneza, como Giudecca, Burano, Murano, Torcello e Lido. São passeios imperdíveis se a sua estadia se estenderá por mais de dois dias na cidade (a minha preferida: Burano).

– A linha nº 1 do Vaporetto é a mais utilizada pelo turistas, pois percorre toda a extensão do Grande Canal de Veneza. A linha nº 2 faz o mesmo trajeto, só que com menos paradas. Dica: para começar a sua visita, percorra todo o Grande Canal de Vaporetto. É uma forma excelente para você conhecer a beleza da cidade.

– As principais linhas funcionam a cada 10 ou 20 minutos e iniciam as atividades pela manhã, aproximadamente 5h. Após às 24h, a frequência diminui, mas ainda há embarcações durante todo o horário noturno.

Além do Vaporetto, Veneza possui outros meios de transporte:

– GÔNDOLAS: Símbolo veneziano, as gôndolas são uma maneira diferente e romântica de conhecer a cidade. Guiada pelo gondoleiro, elas cruzam os canais em uma velocidade menor, para apreciação dos detalhes. O preço por uma volta de meia hora pode ser maior que 100 euros. Se é um dos seus sonhos – e para sonhos não há preço alto – pesquise e negocie o valor com o gondoleiro antes de entrar. Lembre-se: depois das 18h, o preço aumenta. Dica: se o seu orçamento está apertado e mesmo assim você deseja passear de gôndola, encontre outras pessoas para dividir o trajeto.

Gôndolas e a Ponte Rialto

Gôndolas e a Ponte Rialto

– TÁXIS AQUÁTICOS: São como lanchas, geralmente de madeira. O preço é alto, mas são rápidos e eficientes! Se o seu orçamento permite – uma viagem custa, aproximadamente, 100 euros – é uma maneira cômoda de chegar o mais próximo possível do seu hotel ou para alguma emergência, como chegar mais rápido para pegar um voo.

Os táxis de Veneza

Os táxis de Veneza

– MOTONAVE: Com grandes dimensões e, geralmente, com dois andares, operam somente nos canais maiores e fazem o trajeto entre as ilhas.

800px-Lazise_07_battello_(1)

Fonte: Wikipédia

– TRAGHETTO: Barcos muitos semelhantes às gôndolas. Realizam a travessia de um lado para o outro do Grande Canal de Veneza, onde não há pontes. Uma boa opção, se você quiser experimentar como é passear de gôndola sem gastar uma fortuna.

O Traghetto está no centro - a "gôndola" maior. Observe que as pessoas ficam em pé ou sentadas

O Traghetto está no centro – a “gôndola” maior. Observe que as pessoas ficam em pé ou sentadas

 No próximo post, o início das atrações turísticas de Veneza…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s